Edson Milton Ribeiro Paes.
"Eterno Aprendiz"
CapaCapa
TextosTextos
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
LinksLinks
Textos


"SUA IMPORTÂNCIA"

Nesta nossa curta inserção neste espaço tempo. Onde interagimos com milhares de pessoas tão iguais e tão diferentes no quesito procedimentos, gostos, dogmas e especializações.

Perdemos tempo demais dando atenção a coisas ou pessoas que na realidade nada representam de importante em nossas vidas. Deveríamos ter um alerta luminoso em nossa mente que quando algo vai nos aborrecer no futuro já deveríamos deletar em tempo hábil. Pessoas vem e vão. Coisas vem e vão. Mas só guardamos conosco aquilo que nos faz bem, aquilo que nos faz melhores. Ninguém precisa de ninguém especificamente. Somos seres inteiros sem necessidade de acessórios para nos complementar. Muita gente se pendura na felicidade alheia, na vida dos outros e acaba por não perceber a sua própria existência. Problemas que antes você acreditava só você resolver. 
*Ir embora é importante para que você entenda que você não é tão importante assim, que a vida segue, com ou sem você por perto. Pessoas nascem, morrem, casam, separam e resolvem os problemas que antes você acreditava só você resolver. É chocante e libertador – ninguém precisa de você pra seguir vivendo.
Nem sua mãe, nem seu pai, nem seu ex-patrão, nem sua empregada, nem seus filhos, nem ninguém. Parece besteira, mas a maioria de nós tem uma noção bem distorcida da importância do próprio umbigo – novidade para quem sofre deste mal: ninguém é insubstituível ou imprescindível. Lide com isso. É preciso ir embora.
Ir embora é importante para que você veja que você é muito importante sim! Seja por 2 minutos, seja por 2 anos, quem sente sua falta não sente menos ou mais porque você foi embora – apenas sente por mais tempo! O sentimento não muda. Algumas pessoas nunca vão esquecer do seu aniversário , você estando aqui ou na Austrália.
Então vá embora. Vá embora do trabalho que te atormenta. Daquela relação que você sabe não vai dar certo. Vá embora “da galera” que está presente quando convém. Vá embora da casa dos teus pais. Do teu país. Da sala. Vá embora. Por minutos, por anos ou pra vida toda. Se ausente, nem que seja pra encontrar com você mesmo. Quanto voltar – e se voltar – vai ver as coisas de outra perspectiva.
As desculpas e preocupações sempre vão existir. Basta você decidir encarar as mesmas como elas realmente são – do tamanho de formigas.*

Temos a importância exata que cada um lhe dispensa. Não somos seres únicos, somos seres mutantes nos conceitos diversos de pessoas diversas. Somos sim para cada um, um. Mas na contrapartida somos ou deveríamos ser o ídolo de nós mesmos. O exemplo que devemos sempre seguir, nossos passos, conforme idealizamos e trabalhamos duro para executarmos ou sermos. Não creio em vidas eternas, em pessoas perfeitas em relacionamentos intermináveis e nem em mudanças incríveis. Cada um é o que é independente do que somos ou representamos na vida de cada um. Ninguém salva ninguém, ninguém muda ninguém. Cada um extrai de nós aquilo que lhes garante superioridade. Por este motivo seja inteiro para que em um possível relacionamento você só some.

Pessoas que dependem psicologicamente de outras precisam de tratamentos e não só de carinho ou proximidade.
Sendo você alguém consciente de sua importância para si próprio o mundo lhe aguarda para lhe proporcionar tudo que você puder absorver e agregar de bom para sua existência. Seja feliz pois em um lugar que tem um certo numero de pessoas felizes tudo flui muito melhor. Devo lembrar que sorrir não é garantia de felicidade e gargalhar não lhe garante o posto de pessoa resolvida. O que lhe aufere sim todos os méritos é o que você faz com seus pensamentos, sentimentos, duvidas e ou dificuldades. Ser estável emocionalmente é o grande objetivo do ser humano!!!

Parte deste texto eu copiei da pagina de Marcelo Balboa. Portanto não é de minha inteira autoria.

Edson Milton Ribeiro Paes

 
 
 

 
EDSON MILTON RIBEIRO PAES
Enviado por EDSON MILTON RIBEIRO PAES em 09/06/2018
Alterado em 09/06/2018

Música: METADE - OSWALDO MONTENEG

Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (EDSON MILTON RIBEIRO PAES). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários