Edson Milton Ribeiro Paes.
"Eterno Aprendiz"
CapaCapa
TextosTextos
E-booksE-books
FotosFotos
PerfilPerfil
Livros à VendaLivros à Venda
PrêmiosPrêmios
Livro de VisitasLivro de Visitas
LinksLinks
Textos


“MONOLOGO DA CONSTATAÇÃO”
 
Quem sou eu?
Quem é você?
Quem somos nós diante de tão grande e sórdido esquema?
“Somos reles pedaços de carne putrefata criados para produzir consumo em um primeiro momento e riquezas depois?”
Que papel exercemos nesta sociedade de castas que só eles podem ganhar dinheiro e nós temos que pagar tudo?
É justo mais de 85% da população não ganhar 4 mil reais por mês, e eles ganham isso só de auxilio moradia mesmo tendo imóvel próprio e mais imóvel funcional?
Que País é este que permite um desequilíbrio tão grande entre as classes?
Diante de tantos abusos eu lhes pergunto, vocês acham que eles vão querer ou permitir que tudo isso acabe?
Vocês acham que por mais que algum candidato fale alto, brigue, ameace ele ousará mudar este quadro?
Você acha que se o candidato que hoje esta se dizendo incomodado com o sistema se o deplorasse realmente colocaria sus filhos?

Quem de alguma maneira participa desta farra do boi jamais vai querer mudar o jogo.
Podem ameaçar mas fazem parte de um sistema sórdido, criminoso e na realidade querem continuar fazendo. Todos nós pagamos nossa condução, refeições, moradias, telefones e ganhamos pouco. Eles tem os maiores salários do mundo da classe Politica e ainda são isentos do imposto de renda, não pagam nada e ainda roubam. Nenhum candidato que hoje se apresenta como salvador da Pátria esta dizendo a verdade. Ele só quer que a regra do jogo não mude.

É preciso jogar a caixa de laranjas podres fora e começar de novo com uma forma de gestão publica diferente. A figura parlamentar já não é mais eficiente. A maquina do Estado inviabiliza qualquer negocio. Qualquer empresa que consiga permanecer mais de 3 anos no mercado é porque ou roubou ou acumulou dividas para com o estado e ou fornecedores. Este sistema visa a quebradeira geral. É impossível sustentar tantos ladrões e vagabundos. A carga tributaria é pesada demais, nem o grande e nem o pequeno empreendedor consegue honrar.
Enquanto isso o dinheiro dos impostos que deveria voltar em beneficio para o povo, comercio e indústria repousa em apartamentos, bancos estrangeiros ou mesmo enterrados em sítios. Impossibilitando que a maquina continue funcionando.
Neste momento em que muita gente esta fazendo campanha para um ou outro politico, vejo com clareza a alienação do nosso povo que não consegue raciocinar de maneira isenta e sem interesses particulares. É preciso antes de tudo mudar o método de ensino que doutrina nossos jovens a acreditarem neste sistema. O jovem de 16 anos vai votar achando que esta fazendo uma das coisas mais importantes de sua vida, e deveria ser, mas não neste sistema contaminado e criminoso. Na minha cidade a muitos anos atrás um delegado plantonista quando chegava as dez da noite soltava meia dúzia de presos e dizia, seis horas aqui de volta e é meio a meio. Eles saiam roubavam, assaltavam e quando voltavam dividiam o fruto com o delegado bonzinho. O STF faz igual ou bem parecido. Não há moral, não há honra. Só interesses monetários. Se um dia quisermos o Brasil de volta vamos ter que morrer por ele!!!

 
EDSON MILTON RIBEIRO PAES
Enviado por EDSON MILTON RIBEIRO PAES em 29/03/2018
Alterado em 29/03/2018
Esta obra está licenciada sob uma Licença Creative Commons. Você pode copiar, distribuir, exibir, executar, desde que seja dado crédito ao autor original (EDSON MILTON RIBEIRO PAES). Você não pode fazer uso comercial desta obra. Você não pode criar obras derivadas.


Comentários